top of page
  • ruidiasamaro

Weight Cutting em desportos de combate - Pt.1

Atualizado: 6 de mai. de 2020

Nos desportos baseados em categorias de peso (boxe, kick boxe, Muay Thai, Jiu Jitsu, MMA, …) é comum ver atletas tentar ganhar uma vantagem teórica sobre os adversários ao competir numa divisão de peso mais baixa que o seu peso real no dia a dia.

A questão é que o adversário acaba sempre por fazer o mesmo, o que vai anular a suposta vantagem criada, e acaba por criar uma necessidade generalizada no desporto já que ninguém quer entrar num ringue com um adversário consideravelmente mais pesado.


Nas semanas que antecedem um combate profissional ou competição, muitas vezes um espaço temporal curto de 4 a 8 semanas, os atletas usam vários métodos para perder peso e ao mesmo tempo aumentam e/ou intensificam o regime de treino, o que acaba por criar 2 objetivos um pouco contraditórios: por um lado o atleta precisa de comer menos, mas por outro não quer prejudicar a qualidade e intensidade dos treinos.


Neste ponto tem de ser feito um compromisso: sendo que a restrição energética tem obrigatoriamente de acontecer, então o foco deve estar numa gestão inteligente do «orçamento» energético diário, manipulando as quantidades de proteína, hidratos de carbono e gordura de forma a maximizar o rendimento nos treinos, garantir uma boa recuperação e minimizar a perda de massa muscular durante todo o processo.


Feito este compromisso é essencial entender de onde poderá vir a perda de peso. As áreas com maior potencial para manipular (aumentar ou diminuir) são:

  • massa gorda,

  • massa muscular,

  • fluídos,

  • conteúdo gastrointestinal.


A perda de massa gorda e massa muscular é um processo crónico (lento) que ocorre ao longo de semanas/meses através da criação de um déficit energético. Já a manipulação de fluidos e conteúdo gastrointestinal é bastante mais fácil e produz resultados mais imediatos, são processos de perda de peso agudos (rápidos).


Para perceber bem a diferença vejamos: através da dieta o objetivo é perder entre 0,5 a 1 kg por semana, mais do que isso aumenta a probabilidade de perda de massa muscular; por outro lado, um atleta facilmente perde 1 a 2kg em suor numa sessão de treino de 90m (se estiver bem hidratado claro).


Então quando devemos utilizar cada método?


Se tiver tido tempo e um bom acompanhamento, o atleta conseguiu perder o máximo de gordura corporal possível e o mínimo de massa muscular durante a fase de preparação, e vai chegar à semana anterior ao combate próximo do seu objetivo, ou seja, no máximo a 8% do teto superior da sua categoria de peso (ou seja, se o atleta compete na categoria -69kg, deve pesar no máximo 74,5kg).


ATENÇÃO: Apesar de existirem atletas de MMA que perdem mais de 10% do peso corporal na última semana isto não pode nem deve ser considerado como algo normal. Na realidade, um valor bem mais aceitável é uma perda de 5% do peso corporal, o que minimizaria consideravelmente os perigos relacionados com esta prática (mais sobre este assunto nos próximos posts).

A partir deste ponto, os últimos 7 dias, o regime de treino muitas vezes entra em fase de tapering (diminuição do volume e intensidade) e a perda de massa gorda não irá produzir resultados significativos. Aqui já podemos começar a recorrer aos métodos rápidos de perda de peso, o chamado Weight Cutting.


Que métodos rápidos são estes?

  1. Depleção de glicogénio

  2. Redução da ingestão de sódio

  3. Esvaziamento do conteúdo gastrointestinal

  4. Desidratação


Na segunda parte deste artigo vamos ver como e quando se podem aplicar cada um destes métodos de forma segura e inteligente, de maneira a minimizar o impacto negativo na saúde e desempenho do atleta. Fiquem atentos!


Aviso: Infelizmente, a perda de peso rápida é um processo perigoso que está enraízado em muitos desportos de combate e não está circunscrito somente aos atletas em idade adulta. Dado que a maioria dos atletas vai buscar conselhos de nutrição e perda de peso a colegas, treinadores e às redes sociais, a intenção desta série de artigos é informar como algumas técnicas podem ser usadas de forma segura e em que condições, bem como os perigos da sua utilização incorreta (algo que vejo acontecer com frequência em atletas que acompanho).

70 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page